Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


O “çerumanu” quer muito descobrir, explorar, testar, usar, conquistar… E acha, acima de tudo, por todas as leis, que mais cedo ou mais tarde, na sua bolha de egocentrismo, será invadido por alguma inteligência superior atraída por seu mundinho e seus recursos. Possivelmente atrás, até, de tomar sua aparência, um pouco de sua inteligência e também tecnologia (quiçá dobrar umas plantações de cereal). É se achar demais a última bolachinha do pacote.

Isso é amplamente expressado no cinema, nas séries, nos quadrinhos, e os humanos são sempre os bonzinhos, ou quase sempre. Os alienígenas, é claro, são maus, estão aqui pra tocar o terror, pra foder a galera, pra tomar o que é nosso (como se a gente não invadisse matas, rios, mares, satélites naturais, planetas…), invadir nossos corpos, nos estudar, explorar nossos recursos e cagar na cabeça de geral.

A vida, bom, a vida já foi encontrada fora da Terra, existem microrganismos, água e a porra toda, mas os benditos dos humanos querem a existência de um simbionte-assassino-from-hell-devorador-de-cérebro! E enquanto não achar eles não vão sossegar.

Vida, ficção de terror dirigida por Daniel Espinosa e roteirizada pelos caras de Zombilândia 1/2 e Deadpool 1/2, é mais um filme a recorrer a esse clichê, e não que eu não goste, na verdade eu adoro, tudo que eu disse é apenas uma crítica ao nosso egocentrismo que beira o ridículo (beira não, é). Nos trailers abaixo você encontrará justamente o tal simbionte (ao que parece), e possivelmente teremos no filme uma agonia similar a de Gravidade.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.