Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


O POST CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO EM QUESTÃO

Estamos chegando ao fim de mais uma temporada com mais um episódio excelente, e certamente, em partes, equiparável ao roteiro do qual tem origem. Outro detalhe importante é que não apenas o roteiro melhorou, mas também a trilha sonora, que basicamente inexistia nos primórdios da série, ou era tão ruim/ausente que eu nem lembro, e é estranho que eu só tenha me dado conta disso agora. Kirkman emprega agora todas as características necessárias para o sucesso de um universo zumbi, e a trilha não poderia deixar de ser rock/metal (e possivelmente ouviremos algum industrial futuramente). O fim da temporada promete, pois Conquer deve ter vir com vários minutos a mais, mais especificamente com 1h e 30min, algo digno de um longa metragem de terror, mas vamos a Try:

A única parte que eu já não estava gostando nos últimos episódios e definitivamente não gostei nesse, até porque teve algum foco, foi essa atitude revoltz da Sasha, já que pra mim ficou parecendo um baita tapa buraco desnecessário com uma importância exagerada. É importante salientar que Sasha não existe na HQ, e o equivalente a ela, Julie, participa de uma das cenas mais chocantes da história de The Walking Dead nos quadrinhos. Apesar disso, a função sniper da personagem me agrada muito, embora eu quisesse que toda a treta entre Rick, Pete e Jessie, gerasse uma nova Andrea, e que Rick treinasse ela para ser uma máquina de matar, todavia eu duvido que isso ocorra.

Mas se Rick não ganha um par, Carl foi mais rápido e já tratou de se arrumar com Enid, que vem para assumir o papel de Sophia, que morreu lá na segunda temporada (gerando um dos piores trechos da série e um dos spoilers mais antecipados da mesma). Sophia morreu, acredito eu, porque teve uma péssima atriz mirim escalada, que jamais conseguiria acompanhar a história fazendo par com o destemido caçador de confusões, Carl, e nos pouquíssimos episódios onde tivemos a oportunidade de ver a atriz que interpreta Enid atuando, ela com certeza foi muito superior a que vivia Sophia (Try foi um desses episódios).

Paralelamente as aventuras florestais de Sasha, Carl e Enid, temos Daryl e Aaron explorando os arredores de Alexandria, onde eles se deparam com uma luz que os leva a mais bizarrices com um W encravado na testa. A verdade é que eles não deveriam ir até lá e todos sabemos disso, mas o seriado precisa de ação e isso requer um pouco de burrice vez ou outra (até mesmo do Rick). É quase certo que eles sejam vistos, mas Daryl, e creio que Aaron também, são bons em despistar e possivelmente não sejam eles, diretamente, que irão levar a galerinha do mal até Alexandria. E se você quer comparar o episódio com a HQ, os ocorridos de Try estão entre os números 74 e 75, e está merecendo viu, pois a cena da briga entre Pete e Rick, em especial, é tão igual a da revistinha (até nos dialogos) que eu cheguei a ter pequenos orgasmos nerds. Ah, não esqueça de deixar sua nota para o episódio!

Abaixo palpites para o final de temporada:

ABAIXO SPOILERS RELACIONADOS AO ÚLTIMO EPISÓDIO

Julgando pelo padrão que tem sido seguido até aqui na segunda temporada, recriando coisas que foram jogadas fora nas temporadas anteriores, e trazendo maior proximidade com o que ocorre na HQ, o último episódio deve ser um misto de funerais e tentativa de invasão a Alexandria. Aaron e Daryl devem conseguir esconder o rastro deles dos Wolfs, mas infelizmente uma situação entre Rick e Pete (é, ainda não acabou) deve mostrar a eles a direção da fortaleza, e talvez por isso essa paranoia toda de ficar em cima da evolução de Sasha como caçadora. Sasha será essencial no episódio final.

E não fica por aí: o tiroteio com os Wolfs deve gerar barulho suficiente para atrair zumbis de toda a redondeza e de lugares ainda mais distantes, mas na minha opinião isso deve ficar para próxima temporada, bem como a aparição do vilão máximo desse arco (que merda, queria ver ele pra ontem!). No fim, presumo eu, Deana deve entregar o comando de tudo a Rick, numa cena clássica do final do 13º volume, Indo Longe Demais, HQ de número 78, e, possivelmente, para criar um climax para a próxima temporada, o retorno de Aaron e Daryl deve ser dramático.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

The Walking Dead: Try (s05e15)
Quantos pratos de ratatouille vale esse episódio?
PRÓS:
  • A briga de Rick e Pete.
  • Cena final de Rick.
  • Michonne sendo Michonne.
CONTRAS:
  • Muito foco na paranoia da Sasha.
9.7Nota
Nota do Leitor: (0 Votes)
0.0