Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Quarto episódio da quinta temporada de The Walking Dead e já começaram a cagar no roteiro. E não deve ficar só nesse. Essa mania de querer inventar demais a troco de personagens irrelevantes é uma coisa que não entra na minha cabeça. Quando assisti as primeiras imagens pós-último episódio eu imaginava que um episódio meia boca viria, e ele veio. Parece que todo e qualquer episódio que seja centralizado na personagem Beth não tem como ser bom, sendo que um dos piores episódios da temporada passada também envolvia ela e essa coisa indecisa de ora ser uma menininha frágil e noutra ser uma ninja.

SPOILER!

Cuidado com os spoilers relacionados ao episódio a partir daqui.

Depois de tanto tempo convivendo em meio ao caos, depois de tanto tempo sendo treinada com o pessoal do Rick, existe mesmo espaço para fragilidade nesse seriado? Não interessa se é mulher, homem, criança, gato, cachorro, quem viveu o apocalipse por anos, a não ser que seja o padre cagão escroto Gabriel, jamais daria espaço para momentos de fragilidade da forma que empregam em Beth (é muita vontade de querer criar um papel “mulherzinha sexo frágil”). E é revoltante que mais uma vez eles destruam um personagem.

O ponto positivo do episódio foi a introdução de um personagem negro, vivido pelo ator de Everybody Hates Chris, Tyler James Williams, que pra mim sacaneou a Beth e usou ela pra fugir, por mais que ela tenha se achado a boa samaritana em salvar o rapaz. Plantou a ideia, ela fez tudo por ele, ele deixou ela de isca, e saltou fora. Simples assim. E tomara que ele volte a aparecer, né, porque vai saber também (adoram matar negros nessa série). Mas é bem provável que da mesma forma que Carol “encontrou” o grupo do hospital, o guri também encontre o grupo de Rick (será que era ele com Daryl no episódio passado?).

E o que ocorreu com Carol para que ela parasse ali? Alguma coisa foi feita pelo grupo de benfeitores, dá mesma forma que eles “salvaram” a Beth (que chegou apagada), eles também devem ter “salvo” a Carol (que também chegou apagada). Mais cedo ou mais tarde o xerife Rick vai sair na captura de suas duas aliadas e vai acabar batendo de frente com o grupo de policiais da xerife Dawn, e possivelmente a briga vai ser boa, mas, num contexto geral, desnecessária (e gente vai acabar morrendo no meio do caminho). O único proveito é o fato de que um médico é algo importante e ele pode seguir em frente com o grupo.

SPOILER!

Daqui pra baixo alguns detalhes relacionados a HQ, se você não leu pule essa parte.

Na resenha sobre o episódio passado eu mencionei meu medo de que eles inventassem demais para recolocar Beth de volta no grupo e, agora mais claramente, introduzir novos atores. Acontece que isso não passa de encheção de linguiça, e realmente não necessita encher linguiça dessa forma.

Lá na segunda temporada, quando muitos me falavam sobre banalidades da vida abordadas em The Walking Dead, principalmente enquanto eles estavam na fazenda, eu questionava: “Mas vocês queriam ver o que?”, a vida tem momentos de calmaria e momentos de agito, encher linguiça com conflitos sociais é benéfico para o seriado (é o que de fato ocorreria), e é muito melhor do que ficar criando vilões fracos a cada esquina, como é o caso.

Fosse seguir o rumo adequado, já estaria na hora deles se moverem em direção a Chicago atrás do Abraham, na realidade eles deveriam ter ido juntos, sem essa treta no meio do caminho, pois o caminho para lá, em si, já geraria MUITA história, sem necessidade nenhuma de criar esse desvio. E, consequentemente, aportariam em Alexandria.

Então qual a razão? Eu te digo: eles vão fazer merda de novo, da mesma forma que fizeram na quarta temporada, aproveitando que existem três grupos separados para criar histórias para cada um deles, e isso não é bom pra série, acredite, pois foi assim que eles jogaram publico fora na última temporada. Eu realmente espero estar errado, mas como vocês podem ver pelas cenas do próximo episódio, que eu só vi depois que escrevi isso aqui, eu pareço estar certo (e eles vão usar essa forma preguiçosa de criar diversas histórias em uma só de novo). No caos, grupo forte é grupo organizado e unido, e a essa altura o grupo de Rick já deveria ser assim.

SPOILER!

Abaixo spoilers relacionados ao próximo episódio.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

The Walking Dead: Slabtown (s05e04)
PRÓS:
  • Novo personagem/ator negro
CONTRAS:
  • Beth e machismo
  • Desvio desnecessário na história
  • Divisão do grupo para criar histórias rasas separadamente
6.2Nota
Nota do Leitor: (0 Votes)
0.0