Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Se você ainda está acompanhando The Walking Dead e não foi uma pessoa fraca que abandonou a série mais violenta da atualidade (gente, é o apocalipse, né? E no mundo real isso ocorre todo dia.), sabe muito bem que a primeira metade da temporada termina com Rick indo até Hilltop para convocar pessoas para uma guerra contra os Salvadores, dos quais todos são reféns, especialmente do monarca Negan. E dia desses ainda estava debatendo monarquia com uma dessas pessoas que deliram com o retorno da família real brasileira ao comando, aqueles que ainda sugam do governo dinheiro público por causa de seus sobrenomes, porque temos muita corrupção e violência, e que a monarquia seria algo inovador. A ideia mais antiga, que mais matou/escravizou pessoas, que mais roubou, algo inovador? Delírios!

Negan é um exemplo nada caricato do que pode ser um monarca com amplos poderes de fazer o que bem entende, o que não difere muito de uma ditadura. Então o senhor Rick, um democrata que já flertou com a ditadura, quer acabar com essa firula inquisidora de Negan batendo de frente com ele e com seus comandados, e para isso é necessário começar a treinar pessoas, para isso é preciso tomar atitudes arriscadas e inconsequentes, e isso tudo deve acontecer ainda que um pouco nessa segunda metade de temporada. A guerra é longa, sofrida e violenta. Preparem os sacos de vômito!

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.