Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


CONTÉM SPOILERS DA SÉRIE E DA HQ! ELES NÃO INFLUEM MUITO NA EXPERIÊNCIA, MAS ESTEJAM AVISADOS!

Destruídos pela perda de um dos componentes do grupo, os comandados de Rick parecem ter ficado um pouco desnorteados, e o caminho até a próxima parada, que muito provavelmente será um local conhecido como Alexandria, deve ser bastante tortuoso. Sendo assim, outras mortes devem ocorrer e mais componentes devem surgir (vários, inclusive, surgirão quando eles conseguirem chegar na tal cidade, mas isso só deve ocorrer ao final da temporada).

aaroneric01

Ross Marquand (Aaron) e Michael Traynor (Eric).

Todavia, antes de chegarem em Alexandria eles devem encontrar, além de zumbis e humanos maldosos, dois personagens importantíssimos: Aaron e Eric. E rumores indicam que os dois personagens, que devem aparecer lá pelo 12º episódio (também segundo rumores), já tiveram seus interpretes contratados (foto ao lado). Aaron é uma espécie de recrutador de pessoas para Alexandria, ele observa elas por dias, seguindo-as, até decidir se deve recrutá-las e a melhor forma de fazê-lo. Eric é o namorado de Aaron, e eu realmente espero que decidam manter isso, já que ficaria absurdamente feio ignorarem a mais importante relação homo afetiva do universo de The Walking Dead, assim como fizeram com todas as outras relações em todas as outras temporadas.

Eu adoro The Walking Dead (HQ, livros e série), e reconheço a necessidade de termos diferenças entre esses produtos, mas na série parece que criaram o mundo perfeito dos coxinhas discriminadores, dos defensores da “família”, da “moral” e dos “bons costumes”. A série não tem sexo, não pode mostrar corpos em contato que já vem a censura, isso não pode nem se forem héteros, que dirá homos. Essa realidade não é verdadeira numa situação normal, que dirá num apocalipse onde as pessoas tocam o foda-se (literalmente) e se lixam para o que todo mundo pensa ou deixa de pensar. Até mesmo a relação entre Dale, um idoso, e Andrea, uma mulher bem mais nova, foi evitada, isso que a atriz tinha aparência bem mais madura que a personagem da HQ. E quando disseram que Rick poderia ter em Beth seu par romântico (coisa que não ocorre na HQ), o mundo quase desabou.

Se vocês pensam que a liberdade da série em imprimir violência é limitada, não sabem como ela é absurdamente puritana. As pessoas do universo televisivo não trepam, não tem desejos e não podem nem se pelar. Na HQ, no início da estada na prisão, por exemplo, Carol (que lá é bem diferente, mais carente e menos ninja), sugere a Lori Grimes um triângulo amoroso entre elas e Rick, sendo assim ela poderia ser mais próxima e ajudar na criação de Judith. Lori não aceitou, mas nem isso foi mostrado na TV da mesma forma, mesmo numa sociedade machista que adora fantasiar o lesbianismo (que teve um caso breve na série). Lembram-se do episódio em que Abraham trepa com Rosita, na primeira parte da temporada atual, e eles são assistidos por Eugene? Aquela cena quase fez com que o episódio não fosse ao ar, e na HQ essa relação “tripla” é uma constante. O que tivemos até agora? Uma menção de sexo oral por parte da Andrea, o sexo não mostrado entre Lori e Rick, as pegações não mostradas entre Glenn e Maggie, uns peguinhas entre o Governador e Andrea, sendo que a única cena que mostrou alguma coisa de fato foi a que citei anteriormente, entre Abraham e Rosita. Mas cadê a comunidade LGBT da Terra? Virou zumbi automaticamente?   

A temporada corrente da série tem dado motivos para que não duvidemos de sua qualidade ao ignorar a possibilidade de perda de audiência, seja por excesso de violência ou cenas de sexo, mas nada garante que isso ficará assim, e, considerando todo o dito, tenho medo que excluam, mais uma vez, o protagonismo de uma “minoria” para felicidade da “maioria”, especialmente porque tivemos o recente exemplo em que execraram a possibilidade de Daryl ser gay. Em que isso diminui a pessoa? Ele perderia suas capacidades por ser um homem que prefere pau a boceta? A discriminação absurda e diária que vivemos dia após dia infelizmente se estende para séries, filmes, quadrinhos, músicas e muito mais, e enquanto isso continuar dificilmente as coisas irão mudar, haja vista que esses veículos auxiliam a formar opiniões. Espero, ansiosamente, que Robert Kirkman, criador de The Walking Dead, interfira nesse sentido e deixe que Aaron e Eric vivam felizes também na série. Espero que ele os deixe chocar a “família tradicional” com seu amor, seja através de beijos ou sexo.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

  • Roni

    Kkkkk…que ver sexo, putaria assista um filme porno seu tarado.

    • Paulo Carvalho

      É bem disso que o post trata, Roni, pornô. Tá “serto”. Kisses!