Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


O TEXTO ABAIXO CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO EM QUESTÃO

E eu que achava que esse seria um episódio daqueles desnecessários, dei de cara com um curta metragem sobre o Morgan e seu caminho até Alexandria, tudo narrado por ele para seu prisioneiro Lobo, que até então eu pensava estar morto. Com nota inferior a do primeiro episódio com base na avaliação dos usuários do IMDB, pra mim, Here’s Not Here só não é melhor do que o terceiro episódio da temporada.

A história demonstra a capacidade monstruosa de Robert Kirkman na criação de um personagem. Com roteiro de Scott M. Gimple, o mesmo do primeiro episódio, e direção de Stephen Williams, em Here’s Not Here somos apresentados a Eastman, nos apegamos a ele, e vemos seu trágico fim, bem como a mudança de pensamento de Morgan e porque ele não mata. Talvez isso tenha ligação direta com o futuro da série, amarrando algumas pontas soltas da história em quadrinho, mas não vou soltar spoilers aqui para quem não as acompanha. Se for isso mesmo, mais um ponto para série. É claro que existe uma vantagem aqui, pois é fácil trabalhar as falhas de algo que já está pronto, embora incrivelmente, antes de Kirkman assumir também a série, não estivessem conseguindo fazer isso.

É um dos mais belos episódios da série até agora, senão o mais belo, uma abordagem bem mais romântica e filosófica do apocalipse, sem nenhuma ação desenfreada, um respiro acertado frente ao que está por vir (não é como se fosse um daqueles episódios insosso com a Beth). Excelente fotografia, trilha sonora, direção, roteiro e atuações, mas que, por fugir do senso comum e ser mais longo que o normal, talvez tenha desagradado boa parte dos fãs. Eu gostei bastante, e fui surpreendido por isso, especialmente por ser o único episódio da série a abordar o vegetarianismo, algo que deveria ser muito mais presente num contexto que quase não conta mais com animais de fácil acesso para caça e consumo. Além disso, prega respeito a vida deles acima de tudo, equivalendo qualquer vida existente. E, ainda por cima, cita a palavra veganismo, algo quase inimaginável num mundo onde as séries são consumidas por quem acha que carne é sinônimo de saúde, sabor, dominância e inteligência. Um mundo onde quem pensa diferente disso é chato, mas ao mero sinal de posicionamento recebe convites para churrasco em forma de piadinha, ou a máxima “Minha comida caga a sua”. Sei não, só acho que o conceito de chatice anda meio distorcido ultimamente.

Nada mais a declarar, confira cenas do próximo episódio, promo teasers e deixe sua nota para Here’s Not Here no sistema de avaliações abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=o8HwO6NKu1c

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

The Walking Dead: Here's Not Here (s06e04)
Quantos hambúrgueres de aveia vale esse episódio?
9.4Nota
Nota do Leitor: (0 Votes)
0.0