Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Com o pouco que sei dos “Maori”, não me recordo de eles serem ninjas jirayas, mas, todavia, entretanto, não obstante, cada qual, especialmente no cinema, tem a liberdade de interpretar as coisas como bem entende, e essa liberdade de criar uma vida alternativa faz parte do brilhantismo da sétima arte, que permite que o homem faça tudo aquilo que sonhou. Claro, os “Maori” não devem ter o sonho de ser ninja, mas tá aí, um filme de ação supostamente “Maori”. E apesar de toda a treta fantasiosa, o filme é todo rodado na linguagem dos nativos e os atores também são locais, então já vale pontos enormes por valorizar a cultura daquele povo de alguma forma. E não é todo dia que você vai conferir algo do tipo, não é verdade? Assista o trailer clicando no botão de play da imagem de destaque.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.