Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


    Aproveitando o gancho do Marcell, que resenhou a 2ª temporada da série SAO, para trazer um videozinho da utilização do Oculus Rift no ambiente do anime. Pra quem não sabe o seriado é baseado em um jogo e esse jogo tem um controlador bastante parecido com o Rift, chamado Nerve Gear. E se não conhece o Oculus Rift ainda: trata-se de um controlador baseado em realidade virtual.

    Na apresentação, que rolou na Anime Expo 2014, a Namco Bandai colocou os jogadores apenas para experimentar como seria estar em alguns cenários famosos da primeira temporada do mundo de SAO. A gente só espera que ninguém fique preso no Rift como acontece no anime, seria meio chato pra empresa, hehehe.

    Sobre o Oculus Rift: eu particularmente acho que esse tipo de tecnologia não vinga, e não é a primeira vez que tentam introduzi-la no mercado. É como o cinema 3D, que é super bacana, super legal, super supimpa, mas nunca vai ter o mesmo rendimento que o 2D, haja vista o investimento altíssimo das produtoras para filmar na tecnologia, e o preço absurdo de uma sessão 3D. Mas vai que vinga, já mordi minha língua uma vez com o touchscreen, que eu achei que nunca seria algo popular.

    Ademais, ainda é inviável tanto para o usuário comum, quanto para um fliperama, gastar grana com um Rift, fazendo das realidades de SAO e do uso do equipamento, coisas extremamente distantes. Fora isso existem outros complicadores, como peso, desconforto e a necessidade de um espaço bacana para jogar sem destruir o que está em volta, e acho que todos aqui conhecem muito bem os diversos acidentes promovidos por Wii Motes e Kinects da vida, e ainda tem diferença, já que esses outros equipamentos te permitem visualizar o ambiente real, coisa que o Oculus Rift suprime.

    Você pode, por exemplo, ser assaltado sem ver. Bacana, não?

    Entrada: Sword Art Online.

    Sobremesa: Sword Art Online II continua com a fórmula fraca e rasa de sua primeira temporada.

     

    Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

    Sobre o Atendente

    Coordenador e gerador de conteúdo
    Google+

    Militância pé na porta! "Às vezes está louco na problematização". Cru. Somente a verdade, nada mais que a verdade. Já foi ignorante e às vezes pensa que é inteligente. Viciado em: consumir informação, alguns jogos, música e sexo. Se formou DJ e Produtor Musical pela AIMEC, não era o que a família queria. Preza por água de boa qualidade (não me venha com Crystal), bem como cerveja (não me venha com Skol). Cozinha muito bem e não come animais. Mora no Cubo Mágico, QG de operações localizado em Porto Alegre, mas é mineiro e come pão de queijo enquanto ainda tiver. Torce para o Palmeiras: "Ninguém é perfeito". Idealizador, fundador, pica das galáxias e rei do universo. Obrigado, de nada.

    Lanches Similares