Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Nos anos 90, as resoluções de 800 x 600 eram as tops de linha, porém muitos ainda estavam na 640 x 480, durante os anos 2000 fomos evoluindo do HD para o Full HD e hoje temos monitores de 27 polegadas com resoluções de até 5k, todavia a percepção humana chega ao limite aproximado de 4k, ou seja, mesmo estando muito perto da tela é quase impossível perceber os pixels. Mas acredito que isso não será barreira para o aumento do número de pixels por polegada, até porque em um futuro próximo poderá ser comum existirem grandes painéis com muitos metros de extensão exibindo imagens.

Fonte: Visual Creative

Nessa onda, a Apple lançou o iMac com tela de 27 polegadas e 5k de resolução, isso significa que este computador tem uma resolução máxima de 5120 x 2880 pixels, algo surreal para uma área deste tamanho. A indústria de produção gráfica costuma admirar o hardware da Apple pelo qualidade e estabilidade, independente de existirem PCs Windows com a mesma capacidade. Também temos smartphones como o Galaxy S5 LTE-A que possuem a chamada resolução Quad HD, com uma densidade absurda de 576 ppi (pixel por polegada), chegando a 2560 x 1440 pixels e isto tudo em uma tela de apenas 5,1 polegadas.

Acompanhamento: Techno Image: estúdio brasileiro detona na computação gráfica

Sobremesa: Go Pro Hero4: fazendo filmes em 4K

Portanto, criar resoluções além de 1080p (Full HD), não faz muito sentido nos dias atuais, apenas encarecem os produtos. As aplicações para estas resoluções são mínimas, pelo menos por ora. Apple não inova há algum tempo, só aumenta as especificações dos seus hardwares e isso tem sido rotina em todos os aparelhos comercializados como smartphones, tablet e computadores. A Samsung não se importa em testar novas tecnologias, pois, devido a quantidade de modelos da cia, é fácil descartar um que não deu certo, mesmo sendo top de linha.

Vamos entender um pouco como funciona os pixels com música?

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.