Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Need For Speed, pra mim, morreu após NFS Carbon, que tinha a melhor física de drift da série, antes disso tivemos Most Wanted, que para muitos e para este que vos escreve, é considerado o melhor jogo da franquia. Depois disso, vários jogos vieram, e Burnout reinava absoluto no meio arcade. NFS Pro Street é um dos piores games de corrida que já tive o desprazer de experimentar, Shift é bom, mas não empolga, o remake de Most Wanted, vindo pela desenvolvedora de Burnout, ficou meh. Os jogos de corrida agonizavam.

Claro, tivemos lançamentos de outros estúdios, como Project Cars, que, inclusive, foi criado por algumas pessoas que saíram da EA e trabalharam em Shift, mas meu último jogo divertido de corrida, não aquele que você quebra o teclado pra jogar, foi Bournout Paradise. NFS morreu antes, bem como todos os seus atrativos que me faziam perder horas montando carros para pilotar.

Agora, abraçando essas duas realidades, arcade e simulador, o jogo que carrega o nome da série promete agradar a todos os fãs da série e aqueles que procuram uma física mais apurada, com regulagens diversas, possibilidade de melhor aproveitamento de equipamentos profissionais, como volante, câmbio e pedais, além de reunir os detalhes que mais agradaram dentro de todos os jogos da franquia de corrida mais bem sucedida de todas. Sem mais delongas, confira o trailer legendado logo abaixo, que conta com a clássica música do rapper Coolio:

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.