Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Sucesso de vendas no Japão, chega às bancas brasileiras o mangá Nanatsu no Taizai, também conhecido por sua versão em inglês, The Seven Deadly Sins. Trazido às terras brasileiras pela Editora JBC, Nanatsu no Taizai está sendo publicado desde 2012 no Japão, pela Editora Kodansha juntamente com a revista Weekly Shonen Magazine e tem autoria de Nakaba Suzuki.

A obra já possui 13 volumes publicados até o momento e atenderá pela nomenclatura em inglês. Um dos grandes diferenciais das edições em português são as capas internas coloridas e as artes – muito bem feitas – em detalhes de aquarela. Mais uma das vantagens para os apaixonados pela série que já possui um anime, é que na versão em português foi colocado um mini prólogo com artes inéditas e uma boa explicação de como a história irá se desenrolar.

Suzuki, além de mimar o público brasileiro com o prólogo especial, também deixa uma nota no início do primeiro volume e uma ilustração especial muito fofa de Meliodas e Hawk jogando futebol. Mimos: aprovados.

Sobre a história:

Nakaba se utiliza muito bem de fatos históricos e uma divisão clássica de castas, com toda a ideia de proteção ao rei e o poder atribuído às “forças do império”. A trama começa a se desenrolar em uma taverna com comidas horríveis e bebidas de qualidade discutível, porém com um porco falante e um garoto taverneiro. Ali já é apresentado o grande plot da história: os Sete Pecados Capitais, ex-paladinos do rei que são procurados por toda a guarda por agora serem considerados ladrões.

Há lendas que dizem que eles podem estar mortos, ou foram capturados, porém os posteres ainda são atualizados periodicamente caso eles sejam vistos vagando pelas terras da Brittania. O primeiro grande acontecimento gira em torno de um cavaleiro completamente coberto e enferrujado que invade a taverna Chapéu do Javali. Ele não é ninguém menos que… Só lendo para descobrir.

Dica do review: não se deixem enganar pelo Hawk ou pela Mama (“espera, quem é a Mama?” haha). Ou ainda pela espada quebrada que o taverneiro possui.

Conteúdo: 90 pontos

Sobre a arte e o enredo:

Ainda não conhecia nenhum trabalho já desenvolvido por Nakaba Suzuki, mas tenho que admitir que o uso da arte em still que ele faz é completamente linda. As duas páginas que mostram a revelação do primeiro dos Sete Pecados – que acaba por ser a ira – faz um retrato de movimento completamente bem desenhado e ajustado a ideia que a história passa.

Também não posso deixar de pontuar que as colorizações em estilo aquarela da versão brasileira são incríveis, tendo uma riqueza de detalhes e palheta de cor super elaborada. O traço segue uma natureza fluída, sem ângulos muito retos e dando leveza ao cenário todo. As partes engraçadas ficam por conta de bigodes, roupas inusitadas e indumentárias estranhas usadas pelos personagens.

O enredo parece bem fantástico e característico de shonen, porém há toda uma explicação política dentro dele. Logo no primeiro volume o leitor já se depara com uma explicação bem simples de um golpe de estado e fica dividido entre quem, na realidade, é o lado da lei e da justiça. Outra questão muito atual levantada é a da polícia contra o poder e se isso é o certo. The Seven Deadly Sins tem tudo para ser mega bem estruturado e bonito esteticamente.

Ficou curioso para conhecer a história? Saiba onde comprar clicando AQUI.

Publicação: 95 pontos

sevendeadlysins00

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

Nanatsu no Taizai: em busca dos Sete Pecados Capitais
Quantas porções de batata frita vale esse mangá?
Conteúdo:9
Publicação:9.5
PRÓS:
  • Divisão política bem estabelecida;
  • Ganchos engraçados;
  • Ótimas artes.
CONTRAS:
  • A história começa um pouco confusa;
  • A explicação primária dos personagens é um pouco fraca.
9.3Nota
Nota do Leitor: (2 Votes)
9.0