Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Este não é um post de propaganda das lingeries Duloren, e nem posso afirmar se são realmente de qualidade, mas posso afirmar que a publicidade da empresa é ímpar.

O conceito de lingerie para todos os públicos, a empresa realmente leva a sério, quebrando tabus e respeitando todas as diferenças. Afinal, lingerie é uma peça de roupa que qualquer pessoa pode usar.

Na última, para os dias dos namorados, a empresa usa a chamada “Eu me amo”, com uma imagem fazendo alusão à masturbação feminina. A empresa quer passar a mensagem que a mulher deve primeiro conhecer seu corpo para ter uma sexualidade saudável e feliz.

Campanhas da Duloren normalmente envolvem quebra de padrões como gordinhas, senhoras da 3ª idade, casais homoafetivos, entre outras. Sempre com uma tirada irônica para a sociedade preconceituosa.

Acompanhamento recomendado: Dove Contra os Padrões

Mesmo assim, a empresa não passa batido pela censura ou até por uns deslizes na ousadia de seus anúncios, como foi o caso de uma campanha de 2012 que foi considerada racista e machista, por mostrar uma mulher negra de lingerie no alto da favela com um soldado desacordado, supostamente do BOPE, com a chamada “Pacificar foi fácil, agora eu quero ver dominar.”. Mas ainda assim é uma publicidade com alta qualidade criativa e opinativa.

 

 

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.