Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Fala menines! Vocês podem se unir a Ligada da Justiça criando um vídeo para o perfil ou uma foto som a animação travada (o que é meio sem graça). Por lá vocês escolhem a heroína ou herói, carregam uma foto e é feita uma animação em cima dela. Se você quer carregar o vídeo como “foto de perfil” do Facebook aconselho fazer via celular, pois o aplicativo da comunidade social permite carregar vídeos como apresentação. E aí, qual vai ser o seu time? O meu está abaixo:

 

Sim, sou Batmá, sou RYKA!

Importante observar que ao acessar o site de criação de fotinhos que há um quadradinho vazio, QUEM SERÁ QUE VAI ENTRAR ALI? QUEM SERÁ? QUEM? “Mas como eu faço a minha foto, seu animalzinho? Você não disse até agora!”, calma, basta vossa pessoa CLICAR AQUI.

E que trailer foda, hein? Eu quero saber até quando nós vamos ficar nessa guerra fanboyista entre DC e Marvel ao invés de curtir as duas coisas e suas diferenças, dentro dos cinemas e dentro dos quadrinhos. Pensem que um dia, e não sei se alguns de vocês eram vivos quando isso ocorria, ou tinham saído da fralda, mas pensem que já tivemos o horroroso Batman Eternamente, e o detestável Batman e Robin, já tivemos Homem-Aranha emo (esse mais recente), já tivemos absurdos sendo feitos com o Quarteto e os X-Men, e já tivemos um momento em que nada da Marvel existia.

Então, meus caros e minhas caras, parem de ser chatos e festejem o fato de estarmos vendo isso saindo do papel com uma qualidade decente, porque sim, Esquadrão Suicida, apesar de toda implicância, não é ruim não, muito menos Batman vs Superman. Talvez não seja pro teu gosto. Talvez não seja a vertente heroica que você gosta, mas daí a dizer que é ruim, bem longe, eu me diverti horrores comendo umas pipocas em Esquadrão, assim como o fiz em Ultron, que achei bem aquém dos outros produtos Marvel (só pra citar um), e não vi muita distância dele pra outros tantos filmes da Casa das Ideias.

Bora curtir os filmes, deixar um pouco de lado o crítico chato que vive dentro de cada um de nós, e o vermezinho que gosta mais de uma coisa que de outra. Enfim, era só isso mesmo, e pra finalizar: o trailer.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.