Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


The Flower poderia ser um curta de animação qualquer, feito por qualquer um, para fazer qualquer pessoa rir. Mas não.

The Flower é uma animação que trata de uma situação altamente problemática em nossa sociedade e cada vez mais países tem se dado conta de como ela pode ser resolvida.

The Flower aborda apenas a descriminalização da maconha, mas podemos expandir isso para qualquer uma das drogas ditas ilícitas. A medida que se libera e regula, vários setores do crime são desmantelados, isso é um fato e não é necessária muita pesquisa para chegar a essa conclusão.

Com a regulação, inclusive, aumenta-se a qualidade da droga e diminuí-se o risco de overdose, ou vício em outras drogas que vem misturadas, além do envenenamento por agrotóxicos.

Muitos insistem em dizer, especialmente aqueles que trabalham no setor militar, que a descriminalização não adiantariam em nada, principalmente a da maconha e, além disso, se considerarmos a efetividade, muitos dizem que esses criminosos migrariam para outras áreas criminais.

Ora, é como se você pegasse o cara que faliu a padaria e quisesse ele na gerência de um Pub. Pode até dar certo, mas a chance é pequena. Ou seja, o ladrão de banco é ladrão de banco, o traficante é traficante, você querendo, ou não, são profissões bem definidas. E sim, são profissões.

A descriminalização da maconha, por exemplo, evita a necessidade de que pessoas, que consomem ela, se desloquem até a “boca”. Evita que policiais sejam deslocados, desnecessariamente, apenas para contenção de jovens que estão fumando um numa praça, enquanto poderiam estar fazendo coisas mais úteis. Evita que cadeias sejam entupidas de gente com larica, ou chapado.

E a mídia, ainda por cima, ajuda a mascarar uma ação ineficaz da PM, mostrando grupos de usuários, ou “aviõezinhos”, no noticiário, com cabeça baixa, para poder dar o circo que o povo precisa. “Bandido bom, é bandido morto”.

E falando em PM, muito da corrupção dessa policia que, a propósito, não deveria ser militar, acabaria, e muitas operações “necessárias” em morros, bem como mortes de Amarildos, seriam finalizadas.

O problema em aplicar isso tudo aqui no Brasil, infelizmente, é a falta de investimento em educação e a corrupção entrelaçada nos nossos sistemas. Você precisa dar educação para que uma criança não necessite virar “aviãozinho” de traficante, você precisa dar condições para que isso aconteça, você precisa sanar, por exemplo, a defasagem causada pela segregação racial…

A maior parte dos pormenores envolvem educação e essa mesma falta de educação é que contribui com as lavouras, não de maconha, não de coca, mas de corruptos nesse país; políticos, policiais, advogados, pastores, padres, empresários, pais, mães, adolescentes, crianças… Todos, sem exceção, crescem dentro do modus operandi do jeitinho brasileiro.

Todo mundo aprende a furar fila, todo mundo dirige “melhor” bêbado, todo mundo usa o jeitinho… O jeitinho é a falta de educação que assola o país, recebendo outro nome para não ficar tão na cara, para ficar bonitinho.

“Mas não vai dar nada”, um dia dá em algo e você morre.

E aí, como é que eu vou me comprometer a fazer uma baita operação de descriminalização de drogas se eu não tenho condições de fornecer educação de qualidade? Saneamento básico? Saúde? O Brasil precisa tomar um sacode e talvez essa descriminalização, inevitável, ajude nisso. Mesmo que seja feita em etapas, mesmo que seja difícil, mesmo que precise transpor o jeitinho.

Não é porque você tem um problema, que não pode resolver outro.

“Mas a maconha leva a isso, leva aquilo, estraga vidas…”, procure estudar mais antes de falar qualquer bobagem, estude, por exemplo, o porque de a maconha ter sido proibida em um primeiro momento e estude quantas mortes são causadas pelo álcool, um DROGA pior que a maconha e que mata todo dia uma enormidade de pessoas, mas que, ao contrário da maconha, é LEGAL.

O álcool é legal e mata, mata muita gente, agora vá no google e cave para mim uma morte comprovadamente causada pela maconha… Te dou um tempo. Achou? Improvável. Cientificamente comprovado? Não, né?  A proibição da maconha e a legalidade do álcool tem um buraco muito mais embaixo do que você imagina. Muito mais embaixo.

A maconha, se você for ali no mesmo google, pesquisar e estudar, tem muito mais benefícios do que malefícios.

“Que bobagem, é a erva do diabo, vai estragar a família brasileira…”, não fale asneira enquanto enche sua cara e sai dirigindo depois, correndo risco de matar gente no processo. Um homem de deus, mas que, bêbado, matou uma família.

Quais os benefícios, por exemplo, da cerveja? Tem? Tem, mas são poucos e não tão relevantes quanto os benefícios da maconha, que são diversos.

“Tu vai me dizer que não gosta de uma cervejinha?”, gosto, bastante na real, mas tenho educação para saber lidar com ela. Voltamos para educação. Educação é importante para saber onde está a verdade e onde está o controle, a falácia.

Descriminalizar a maconha é essencial, não só para o usuário, mas para os inúmeros estudos que podem ser feitos com ela, e para iniciar uma mudança nesse estado de guerra civil que estamos.

“Ai que exagero, Paulo”, aham, continua te iludindo. Desmilitarizar a polícia é outra parte importante disso tudo. A guerra tem que acabar.

E a mais importante das partes é mesmo educar. Educação sana inúmeros problemas relacionados e não relacionados, mas uma pessoa educada é uma pessoa inteligente, é uma pessoa que pensa e uma pessoa que pensa é uma pessoa que não vota em qualquer idiota, é uma pessoa que não dá toda audiência do mundo para grandes conglomerados de lixo televisivo.

É uma pessoa inteligente que depois de beber não sai dirigindo, é uma pessoa inteligente que, acima de qualquer ideologia, entende que os benefícios da maconha são inúmeros, inclusive no tratamento contra diversos tipos de câncer.

Mas aí eu te pergunto: é de interesse da elite governante, e de extrema direita, que você acredite em tudo isso que eu falei até agora e em tudo que a animação e documentários anexos transmitem? Mesmo considerando os benefícios, mesmo considerando a rentabilidade? Reflita sobre isso. Procure se informar.

Os prejuízos dessa desinformação são enormes e auxiliam, inclusive, a alimentar a maior fonte de renda ilegal do mundo: o comércio de armas.

“Vai virar um país de maconheiro…”, é uma lenda dizer que a descriminalização vai gerar uma loucura pela droga, não vai, é comprovada a redução do consumo quando uma droga é descriminalizada. Vide “Lei Seca”.

A elite quer privar os prazeres da classe baixa e outras coisas mais.

Assista The Flower, assista aos documentários que agreguei ao post, procure artigos, se informe. A realidade precisa ser outra.

 

 

COMPLEMENTO:

GRASS
THE UNION
Quebrando o Tabu

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.