Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


O universo dos games está para receber um jogo baseado em uma das histórias mais obscuras e enigmáticas já registradas: o Incidente Dyatlov Pass, que resultou na morte de nove alpinistas russos e que até hoje nenhuma hipótese sobre as mortes sequer foram confirmadas. Assustador!

 

Dyatlov Pass – A Montanha dos Mortos

Janeiro de 1959. Oito homens e duas mulheres formaram um grupo para uma expedição para alcançar Otorten, uma montanha situada dez quilômetros ao norte do local onde ocorreu o estranho evento. Tal rota era considerada, na época, como Categoria III, que significava uma rota de extrema dificuldade, mas não pareceu ser problema para o grupo, uma vez que todos possuíam grande experiência em esquiagem.

kholat004

25 de janeiro: o grupo viaja de trem para a cidade de Ivdel (Rússia) e começam a marcha em direção à montanha no dia 27. No dia seguinte Yuri Yudin deixa a equipe e é forçado a voltar devido a problemas de saúde. No dia 1 de fevereiro as condições climáticas pioraram e o grupo acabou saindo da rota proposta, tomando outro caminho e se vendo obrigados a armar acampamento no declive da montanha e se abrigar.

Apesar do líder do grupo, Igor Dyatlov, não ter cumprido com o combinado, que seria o de enviar uma mensagem telegráfica ao seu clube esportivo no dia 12 de fevereiro, data em que estimaram a volta da expedição, não houve reação. Era comum acontecer atrasos em expedições. Foi só por volta do dia 20 de fevereiro que uma operação de resgate iniciou-se, devido às exigências dos familiares, formada inicialmente por alunos e professores voluntários e, posteriormente, envolvendo polícia e exército.

O acampamento abandonado, em Kholat Syakhl, foi encontrado no dia 26 de fevereiro, completamente arruinado. Segundo o aluno que encontrou a barraca, Mikhail Sharavin, “ela estava parcialmente demolida e coberta de neve. Se encontrava vazia e os pertences e todos os calçados do grupo foram deixados para trás”. Os investigadores disseram que a barraca foi cortada de dentro para fora. Seguiram um rastro de pegadas até chegarem à beira da floresta, onde encontraram restos de uma fogueira junto dos dois primeiros corpos: Yuri Krivonischenko (24 anos) e Yuri Doroshenko (21 anos), descalços e usando apenas cuecas. Mais a frente encontraram mais três corpos: Igor Dyatlov (23 anos), Zinaida Kolmogorova (22 anos) e Rustem Slobodin (23 anos), que parecem ter morrido em uma posição que sugeria que estavam tentando retornar ao acampamento.

A barraca destruída. Conclui-se que ela foi cortada pelo lado de dentro.

A barraca destruída. Conclui-se que ela foi cortada pelo lado de dentro.

A busca pelos outros quatro corpos levaram cerca de dois meses. Foram encontrados no dia 4 de maio de 1959 debaixo de quatro metros de neve, em uma mata próxima ao pinheiro em que os outros dois corpos foram encontrados. Lyudmila Dubinina (20 anos), Alexander Kolevatov (24 anos), Nicolai Vladimirovich (23 anos) e Semyon Zolotariov (38 anos). Estes quatros estavam mais bem vestidos do que os outros e havia sinais de que os que morreram primeiro aparentemente cederam suas roupas para os demais.

 

Investigações e Especulações

Um inquérito legal foi aberto logo após a descoberta dos cinco primeiros corpos. O exame médico não encontrou ferimentos que pudessem ter provocado a morte dos jovens e chegou-se à uma conclusão de que todos morreram de hipotermia (quando a temperatura corporal do organismo cai abaixo do normal, prejudicando seu metabolismo). O exame dos quatro corpos que foram encontrados em maio mudou completamente o quadro, já que três deles possuíam ferimentos fatais: Nicolai apresentou fratura craniana e Lyudmila e Semyon extensas fraturas torácicas. A força para provocar tais ferimentos deveria ser extremamente alta, comparada à uma força de batida de automóveis. Porém, os corpos não apresentavam nenhum sinal de feridas externas, era como se tivessem sido esmagados por uma grande pressão. A única que apresentava feridas externas era Lyudmila: estava sem a língua, sem os olhos e parte dos lábios. A pele de suas mãos estavam extremamente maceradas. Fotos revelaram que seu corpo foi encontrado ajoelhado frente a uma grande pedra.

05

Inicialmente acreditou-se que o povo indígena Mansi poderia ter atacado e assassinado o grupo, que teria invadido seu território. Mas logo a hipótese foi descartada já que apenas as pegadas dos esquiadores eram visíveis e ninguém apresentava sinal de combate corpo-a-corpo, além da força do impacto não ser possível de ser desferida por um ser humano. Depois surgiram teorias de atividades paranormais e testes de armas secretas mas uma avalanche é a hipótese mais plausível para o ocorrido. O grupo teria cortado a barraca para fugir e, entrando em contato com a neve, tiveram botas e roupas extras danificadas. A exaustão e inconsciência devido à hipotermia deve ter ocorrido em quinze minutos. Apesar da área não ser propensa à avalanches, a atividade humana pode ter desencadeado o evento.

Algumas pessoas acreditam que foi uma espécie de acidente militar, encoberto, e que a área servia de testes de explosivos pelos militares russos. As minas que, jogadas de um avião, desciam com um para-quedas e explodiam antes de tocar o solo, produzindo danos semelhantes aos sofridos pelo grupo (grandes danos internos e pouco trauma externo). Outro grupo de esquiadores afirmaram terem visto naquela noite várias esferas alaranjadas no céu naquela noite, além de outras testemunhas, o serviço meteorológico e o próprio exército. Algumas peças de roupas foram encontradas mais tarde apresentando alto grau de radiação.

O veredito final foi de que os membros do grupo morreram devido à uma força desconhecida e o inquérito oficial foi encerrado em maio de 1959 devido à ausência de parte culposa. Os arquivos foram mantidos em sigilo, sendo divulgados à público somente na década de 1990, porém com diversas partes faltando. Apesar de todos os esforços, o caso continua sendo um dos maiores mistérios. Existem algumas imagens na internet as quais não foram utilizadas aqui por serem um pouco chocantes.

Foto das oito vitimas do incidente

Foto das oito vitimas do incidente

 

O Jogo

Os cenários foram cuidadosamente reconstruídos para o jogo

Os cenários foram cuidadosamente reconstruídos para o jogo

Kholat é um jogo de terror inspirado neste evento, onde os jogadores mergulharão diretamente no cenário sem limites na inóspita região dos Montes Urais, na tentativa de encontrar o que realmente aconteceu. Ele segue exatamente o caminho que o grupo realizou, trazendo uma vasta pesquisa para conseguir transmitir um conteúdo verossímil, tanto na atmosfera quanto nos cenários reproduzidos.

Produzido pelo estúdio independente IMGN.PRO, o jogo possui sistema de Open World Map e a jogabilidade é não-linear, possibilitando a exploração e seguindo uma trajetória diferente para cada escolha e ação do jogador. Conta com narração do ator Sean Bean, que interpretou Boromir na trilogia “O Senhor dos Anéis” e Ned Stark na série “Guerra dos Tronos“. Os gráficos são da mais alta qualidade contando com a Unreal Engine 4 e estará disponível para Windows e Mac em 2015.

Confira abaixo um teaser do game:

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.