Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Acho, mas só acho, que o Will Smith vai se arrepender de não participar de mais essa festança ufanista de Roland Emmerich. O diretor e roteirista alemão, responsável por uma série de filmes catastróficos e entupidos de efeitos especiais, dá sequência no seu mais conhecido filme, Independence Day. O filme, que é uma ode ao poderio militar estadunidense, quase uma propaganda do mesmo (quase?), volta 20 anos depois de seu primeiro episódio com a vingança dos alienígenas que foram enxotados da Terra. Eles regressam, ou ressurgem, com ainda mais força destrutiva, e por mais que o planeta tenha se preparado para um novo ataque, nós nunca poderíamos prever o que estava por vir (uhhh, que medo!).

Independence Day: O Ressurgimento estranhamente não estréia no dia 4 de julho, O QUE? É isso mesmo, o filme chega antes do dia da independência do Tio Sam no dia 23 de junho aqui no Brasil e 24 de junho nos Estados Unidos. A direção é de Emmerich, e o roteiro fica por conta de Carter Blanchard, que, bom, não tem muitos trabalhos. Voltam para seus papéis: Jeff Goldblum (David Levinson), Bill Pullman (President Whitmore), Vivica A. Fox (Jasmine, sem o marido vivido por Will “Não quero fazer esse filme” Smith) e Judd Hirsch (Julius Levinson). Estreiam: Liam Hemsworth (de Jogos Vorazes), Joey King (do ótimo terror Invocação do Mal), Maika Monroe (protagonista do excelente terror Corrente do Mal, sério, vejam), William Fichtner (dos recentes Tartarugas Ninja e de Armaggedon), Charlotte Gainsbourg (a queridinha de Lars von Trier), Sela Ward (de House), dentre outros e outras.  

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.