Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Não têm spoilers, vai tranquilo, vai na maciota…

POLÊMICA! Todo mundo ama filme da Marvel e ninguém pode discordar ou falar mal! Lamento aí, mas eu esperava mais de Homem-Aranha: De Volta ao Lar, bem mais, especialmente porque ficou todo esse burburinho de: “Tem que sair da Sony”; “Porque na Marvel seria muito melhor”; “Porque a Marvel produzindo um filme de um herói Marvel era o mais acertado”… Olha, se você criou tantas expectativas quanto eu criei, bem, você talvez seja frustrado como eu fui.

E ainda, só pra implicar com fanboy, porque eu definitivamente detesto essa coisa Marvel vs DC: Mulher Maravilha é um baita filme superior a Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Falo mesmo. Mas pra não ser tão implicante, mas mesmo assim cutucar: também não chega perto de Logan e Deadpool, que não estão debaixo do teto da Marvel. Quer dizer: nem sempre a regra funciona, amiguinhos!

Mas o filme é ruim? De forma nenhuma! Atores e atrizes estão excelentes e a química é muito boa, ainda prefiro o Aranha do Andrew Garfield, mas Tom Holland é muito superior a falta de tempero que Tobey Maguire colocou no herói (e ele tende a evoluir muito). Além disso, os efeitos especiais estão realmente muito bons (pelo que vi nos créditos foram feitos pela Sony, nada mais do que justo porque eles já tem experiência com o herói), as cenas de ação estão absurdamente muito bem coreografadas e ótimas, Michael Keaton como vilão é uma maravilhosa escolha e tudo no Abutre me agrada (deveria ter mais tempo de tela).

E o roteiro? É aí que vem o problema: a história é, em muitos trechos, arrastada, e se torna repetitiva no decorrer do filme. Quanto a repetição: o objetivo de combate ao Abutre gera, nos diversos embates que ocorrem, cenas parecidas demais, faltou criatividade nesse sentido e os combates paralelos acabam sendo melhores em muitos sentidos. Fora que os encontros ficaram tão picados que os contatos com o vilão são curtinhos, culminando numa cena maior ao final. Repito: Keaton deveria ter mais tempo de tela, trabalharam demais o herói e esqueceram do vilão.

Se há uma reclamação de que a DC deveria ser mais parecida com a Marvel, o que eu acho uma sandice porque detesto mais do mesmo e as duas devem continuar sendo únicas, a Marvel tentou ser filosófica demais nesse filme (talvez como a DC?). Não filosófica a ponto de que se precisa pensar muito e entender a cabeça complexa de um Batman, mas no sentido de construção do personagem. É muito tempo seguido gasto com cenas monótonas que pro Aranha não fazem tanto sentido, não se soube dosar harmonicamente as cenas de transição para apresentar o novo Peter Parker com as de ação. E confesso que cheguei a atingir um pouco de nervosismo e pensar: “Tá, bora lá combater o crime!”. O filme, em muitos trechos, parece algo adolescente em exagero passando na Sessão da Tarde.

O Homem-Aranha é um dos meus heróis favoritos (antes que soe a sirene fiscalizadora dos fanboys), bem como o Homem de Ferro, mas não gostei nem um pouco do excesso de posição paterna que Tony Stark assume dentro do contexto. Totalmente desnecessário em alguns pontos, noutros não. Por que raios você ignoraria informações de um combatente do crime, por mais que ele tenha 15 anos? Não faz sentido como filme de herói.

Todavia, faz muito sentido (comercial) ao criar uma identificação com o público, e o público alvo desse filme, moçadinha, não é quem está velho de ler os quadrinhos do teioso, mas adolescentes. Todas as cenas são desenvolvidas em cima de uma nova geração de adolescentes (ou jovens adultos, como queira), suas manias, seus gostos, seus problemas, e não que alguns deles não se assemelhem a problemas inerentes a adolescentes de todas as gerações, mas há sim um direcionamento. Afinal, é preciso angariar novos fãs/consumidores.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar, apesar de alguns pesares, acerta onde quase nenhum filme do MCU acertou (se é que algum acertou): o atrelo com o universo Marvel. Muito embora eu não tenha gostado do excesso de Homem de Ferro no filme, seja na presença do herói, Tony Stark em si ou Happy, acredito que finalmente a Casa das Ideias entendeu que pra se ter um universo é preciso ligar as pontas, é preciso que seus filmes se atravessem de alguma forma. Há, finalmente, amarração entre o filme solo de um herói e o restante do MCU (e muita).

Isso era, pra mim, um dos acertos claros da DC: conseguir cruzar situações dentro dos roteiros, mesmo que em cenas curtas, e não apenas com easter eggs que você precisa muitas vezes assistir o filme em câmera lenta e mais de uma vez pra pescar (ou só em cenas pós-créditos). Universo é um todo, e esse todo precisa ter coesão, ligação, mas no caso da Marvel eu posso pegar e assistir qualquer um dos filmes do início do MCU sem muito me preocupar com o entendimento da história (especialmente se eu não for um fã radical ou se for um frequentador comum de cinema). Em De Volta ao Lar não, você precisa minimamente ter assistido a alguns dos filmes para reconhecer cenários, pessoas e situações. E não que você não vá se divertir sem essa base, vai sim, mas é importante que ela exista.

Outro grande acerto são as cenas de humor, porque a Marvel tem o dom de esbanjar elas e muitas vezes colocar essas cenas gratuitamente e sem sentido nenhum em alguns pontos, deixando a coisa meio bocó. Em Homem-Aranha: De Volta ao Lar todas as cenas de humor são muito bem trabalhadas, diversas delas são hilárias e definitivamente se encaixam muitíssimo bem no contexto e no que se conhece do personagem (se juntar as risadas que eu dei nesse filme já dá pra multiplicar por mais de 8000 as que eu dei nos filmes do Tobey). Há, também, excelentes referências.

Existem, ainda, comentários ácidos sobre escravidão e abordagens sobre cantadas (muito embora eu ache que eles tenham pecado nesse sentido, há certo machismo, não serviu tão como cutuco). Outro apontamento que posso fazer é que o filme é  absurdamente ufanista, mais do que Capitão América (algo bem difícil), tem uma cena que ele para em frente a uma bandeira estadunidense que chegou a me vir um mini vômito.

Sem mais delongas, pra concluir, não vá ao cinema esperando que a Marvel tenha superado a Sony com toda glória que seu herói mais popular/rentável merece. Homem-Aranha: De Volta ao Lar tem muitos acertos, mas está longe de ser um emaranhado deles especialmente com o conteúdo que se tem na mão, e, na minha opinião, não consegue sequer superar Homem-Aranha 2 e O Espetacular Homem-Aranha, ambos produzidos pela Sony. Mas vale, e muito, o ingresso (ok, Kirsten Dunst? Vale o ingresso sim, beijos!).

Deixe sua nota pro filme, se já viu, no sistema de avaliação ao final do post!

PS.: há duas cenas pós-créditos, uma depois dos créditos animados e outra depois dos créditos em formato letreiro. A primeira das cenas é de certa forma relevante, a segunda cena vai te fazer rir muito e ficar com cara de tacho. Eu me senti altamente zoado e aconselho a experiência caso você também queira ser (senão elas já estão online).

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar, mas não tão diferente de quando estava na Sony
Quantas paçocas vale esse filme?
7Nota
Nota do Leitor: (4 Votes)
7.7