Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Sim, tubarão também é peixe, adiante: recentemente tivemos o caso do tubarão de trocentos metros que foi engolido por um tubarão ainda maior e arrastado para as profundezas, tudo muito normal fora as absurdas teorias da conspiração, que até são divertidas. Mas, como todos sabem, reza a lenda que conhecemos muito menos do fundo do mar do que conhecemos da lua. O mar é um mistério e as condições que ele apresenta fazem com que ele continue sendo.

Mas nem tão misterioso assim é um “peixinho” que eu não conhecia, ou não estava ligando o nome em inglês ao nome em português, que não vive tão profundamente assim e que come TUBARÕES numa só dentada. O grouper, também conhecido como garoupa (aquele peixe que está nas nossas notas de 100), é bem popular e algumas espécies podem atingir 2,4m e 300kg. Então qualquer tubarãozinho vira presa fácil perto de uma garoupa. O que não faz do vídeo menos impressionante, claro.

Vendo a preocupação de alguns canais quanto a periculosidade da garoupa eu busquei e encontrei apenas dois registros de ataque de garoupa. Um deles meio surreal e registrado apenas pelo Terra Brasil se dá conta de uma garoupa gigante de 80 anos e 1 tonelada (???) que atacou um mergulhador sueco, no outro, esse registrado em vídeo, uma “pequena” garoupa ataca um peixe pescado por um mergulhador com um arpão, o braço dele é mordido por tabela.

Ademais, tanto tubarão quanto a garoupa são mais caçados do que caçam, e dificilmente atacam humanos (ou quase nada). No mais somos nós que vamos lá invadir o espaço deles. Então não se preocupem e nem sejam ignorantes a ponto de sair matando os dois de forma “preventiva” igual uma legião de pessoas tem feito com os tubarões.

Abaixo o vídeo da “pequena” garoupa roubando o tubarão do pescador e outro da garoupa roubando o peixe do mergulhador (que eu citei acima).

 

O mais triste de escrever isso é que na hora de procurar fotos de garoupas para ilustrar a matéria, eu achei mais garoupas mortas sendo expostas como troféu, do que fotos de belas garoupas vivas no mar, que é o lugar delas.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.