Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Convidamos todas e todos os nossos curtidores de Porto Alegre para a manifestação que ocorrerá nessa segunda-feira, o protesto tem como intuito pressionar as autoridades para que exonerem de seu cargo o promotor Theodoro Alexandre, que culpabilizou uma menina de 14 anos que foi estuprada por seu próprio pai, dizendo, durante audiência, que ela teria mentido e facilitado o estupro. Abaixo a transcrição do que disse o promotor (TW estupro/pedofilia):

Pra abrir as pernas e dar o rabo pra um cara tu tem maturidade, tu é autossuficiente, e pra assumir uma criança tu não tem? Tu é uma pessoa de sorte, porque tu é menor de 18, se tu fosse maior de 18 eu ia pedir a tua preventiva agora, pra tu ir lá na Fase, pra te estuprarem lá e fazer tudo o que fazem com um menor de idade lá.

A atitude de Theodoro, não fosse tão descabida e desproporcional, na minha sincera opinião, passaria até batida, se ele fosse técnico, polido e usasse termos que estão dentro da lei, era bem possível que conseguisse mesmo colocar a culpa na menina e livrar o homem em questão, nada de novo sob o sol.

O ímpeto de Theodoro não vem do nada, sua ânsia por colocar na cadeia uma menina de 14 anos vítima de pedofilia advinda do próprio pai, se deve ao fato de ela ter engravidado e abortado com autorização da mesma justiça laica que Theodoro deveria compartilhar. Theodoro segue:

Tu teve coragem de fazer o pior, matou uma criança, agora fica com essa carinha de anjo. Eu vou me esforçar o máximo pra te pôr na cadeia. Além de matar uma criança, tu é mentirosa? Que papelão, hein? Vou me esforçar pra te ferrar, pode ter certeza disso, eu não sou teu amigo.

A justiça, nada cega, tem misturado frequentemente alhos com bugalhos nesse país (bem como o Estado, nada laico), e Theodoro só deixou esse fato mais claro para todos. Mulheres não tem direito a seus corpos, mulheres trans não tem direito a seus corpos, homens trans não tem direito a seus corpos… Quando isso atravessa as ditas morais e bons costumes da família tradicional, a cegueira da justiça acaba, e até um pai pedófilo estuprador e uma célula (não, não é uma criança, promotor) ganham mais direitos que uma menor de idade que poderia, inclusive, morrer no parto de uma criança que, quase com certeza, também nasceria morta.

O que?

Fora Theodoro.

Quando?

Segunda, 12 de setembro às 17h.

Onde?

Ministério Público de Porto Alegre: Av. Aureliano de Figueiredo Pinto nº 80.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.