Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Que Michel Temer está fazendo um desgoverno parece ser consenso entre as classes média e baixa, visto que apenas a elite tem suas demandas atendidas – entre outros exemplos, a Reforma da Previdência e a PEC do Fim do Mundo que congelou, por 20 anos, os investimentos em educação e saúde. Eu escrevi “saúde”?

Então… Foi por esta razão que a maravilhosa notícia foi recebida com uma certa incredulidade por mim… Mas qual é, enfim, a notícia?

Bem, o Ministério da Saúde anunciou no dia 02 de janeiro que habilitou mais quatro centros para o Processo Transexualizador! Eles estão localizados em São Paulo (Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS), no Rio de Janeiro (Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia), em Uberlândia (Hospital das Clínicas) e em Curitiba (CRE Metropolitano).

Infelizmente, a notícia só não é melhor por estes locais, por enquanto, ainda não estarem aptos a realizar os procedimentos cirúrgicos que se continuarão distribuídos em Porto Alegre (Hospital de Clínicas, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul), São Paulo (Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da USP), Rio de Janeiro (Hospital Universitário Pedro Dorneles, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro), Goiânia (Hospital das Clínicas) e Recife (Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Pernambuco).

De qualquer forma, a notícia, apesar desta ressalva, é positiva, haja vista que o Hospital de Clínicas de São Paulo não estava mais captando novos pacientes para o processo transexualizador, pois a fila de espera para a cirurgia de redesignação sexual é de quase 10 anos!

Pelo que pude depreender do anúncio, os quatro novos centros só não farão os procedimentos cirúrgicos. Ainda assim, trata-se de uma boa notícia, pois, atualmente, muitas e muitos transexuais oriundas das mais diversas localidades do Paraná e de Santa Catarina têm se deslocado a Porto Alegre para o processo transexualizador. E isto apenas para ficar em um exemplo do qual sou testemunha, pois, em meu grupo, há colegas trans destes estados.

Enfim, é fato que ainda será preciso acompanhar como se dará a inclusão destes centros no processo transexualizador, porém, neste momento, é preciso dar algum crédito à iniciativa do Ministério da Saúde, sermos otimistas e considerarmos que esta é uma novidade promissora.

Foto de capa: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

Sobre o Atendente

Colunista: #Transborda

Jornalista, mulher transexual e ativista da causa LGBT. Assumiu-se mulher apenas aos 33 anos (dezembro de 2012) e desde então vem empreendendo sua jornada de transição. Iniciou meu processo de hormonização em junho de 2012. E por conta de ser transexual, sentiu a necessidade da militância política. Por isso, é filiada ao Partido Socialismo e Liberdade(PSOL). Gosta de ler, ouvir música (especialmente Daniela Mercury, Titãs, Melissa Etheridge e Alanis Morissette) e ver séries e programas variados no Discovery Home & Health.

Lanches Similares