Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Existem muitas explicações para o termo  cosplay as quais eu podia me ater aqui pra introduzir esse texto, mas prefiro falar um pouco do que eu realmente sinto, até porque a velha estrutura de significado “Costume + play” vem evoluindo bastante com o passar dos anos. Cosplay é, pra mim, uma expressão pessoal e uma arte. E não, definitivamente, você não precisa ser profissional, bonito ou rico para desfrutar e construir isso. Todos que escolheram vivenciar um pouco os seus personagens favoritos contribuíram  para a representatividade que o cosplay tem hoje dentro da cultura geek.

Sou cosplayer há alguns anos e venho observando que tem sido cada vez mais fácil entrar nesse mundo de cabeça para curtir tudo que o que ele proporciona.  Porém, mesmo depois de muitos tutoriais, dicas e vídeos, sempre vão existir algumas coisas que  ninguém disse pra gente. Por isso, reuni aqui 5 dicas,  simples, fáceis e rápidas (Fast Food style) para ajudar e incentivar qualquer um que estiver  lendo este texto a ter coragem e força pra iniciar essa quest. Vamos lá!

Tire o “não consigo” do vocabulário:

Quem acompanha o universo geek acaba se deparando com fotos incríveis dos cosplays mais difíceis e complexos da face da terra. A primeira reação de quem gosta de cosplay, é ficar maravilhado com aquilo, definindo a grandiosidade da obra em mil palavrões adaptados da melhor forma pra cada região do país. Porém, algumas pessoas logo depois sentem aquela dorzinha no coração, pensando que nunca serão capazes de fazer aquilo “eu não vou nem começar, eu jamais conseguirei fazer isso, eu não quero passar vergonha”.

Amigos, garanto, se vocês acompanharem esses cosplayers, provavelmente encontrarão seus primeiros trabalhos por aí, e verão que todos começaram de algo bem mais simples, e foram melhorando com o tempo e a experiência. Não tem como comparar pessoas que estão em níveis de aprendizado completamente diferentes, então evite você também se comparar com outros cosplayers. Encare os bons cosplays por aí apenas como um incentivo e não como depreciação. Com o acesso a informação que temos hoje, provavelmente você vai chegar ao mesmo nível que essas pessoas com muito mais facilidade do que elas chegaram. Então nada de ver a foto do amiguinho e se sentir por baixo viu? Ok? Ok.

cosplaymochi02

Não tenha vergonha de começar pequeno:

Esse conselho vem em consequência e complemento do anterior: agora que você sabe que também pode chegar lá, não se sinta obrigado a já dar o primeiro passo causando. Faça o que der conta, o que couber no seu orçamento, e o que estiver dentro das suas possibilidades. Não se diminua, mas também não se force ao limite: cosplay é felicidade, se está sendo chato, então não era pra ser sinônimo de cosplay. Ninguém começa de cima, então escolha personagens que não sejam tão difíceis ou, por outro lado, dimensione bem seus desafios. Se você decidiu começar fazendo uma armadura divina de um cavaleiro de ouro e nunca pegou numa folha de EVA antes, então tenha consciência que não vai termina-la em uma semana (ou um mês), porque terá que aprender muitas coisas. Não adianta se propor prazos e pressões surreais e depois querer morrer com dois dias de trabalho.  Um passo de cada vez, e sem crise.

Drink: Cosplay: questão de fidelidade ou discriminação?

cosplaymochi01

Não tenha medo de pedir ajuda:

Nas redes sociais você tem a possibilidade de entrar em contato com milhares de cosplayers e cosmakers pelo mundo inteiro, através de páginas, fóruns, grupos, mil possibilidades, por isso não tenha medo de pedir uma dica de algo que viu e achou interessante. Sim, muitas pessoas não respondem, não podem ou não querem explicar, acontece. Cada um tem seus motivos, e não vamos julgar isso. Mas para alguns nãos ou “visualizado e não respondido” que você receber, também terá muitos “sims”, e vai aprender muitas coisas. Além da internet, sei que é difícil acreditar, mas ainda existe o mundo real, e nele você pode ir aos eventos, conversar com os cosplayers e pegar umas dicas a moda antiga mesmo. Pode ter certeza que muita gente ficará extremamente feliz em ajuda-lo, seja online, seja pessoalmente.

A sua escolha de personagem é pessoal e intransferível:

cosplaymochi03Não precisa deixar de fazer cosplay porque não tem um personagem parecido com você.  Infelizmente, a maioria dos personagens se encaixa em padrões de beleza que passam do sobre humano e dificilmente vão se parecer com você, fisicamente falando. Mas se você gosta dele e tem vontade de representa-lo, que crime você estaria cometendo? Todos temos o direito de sermos felizes e de nos divertirmos. É gordinho? É negro? Não tem peitões? Está tudo bem! E tem mais: faça cosplay do seu personagem favorito, do que você acha bonito, do que “ta na moda”, do que encaixa no grupo com os amigos, versão sexy, versão espacial, versão zumbi… Não importa. Faça como te fizer feliz, ignore comentários tóxicos. Lembre-se sempre te ter empatia e respeito pelos outros. Se você não ultrapassar essa barreira, não deve nada a ninguém. A escolha é somente sua.

Ponha sua personalidade nisso e divirta-se!

Cosplay é um jogo de imitação. É se vestir e representar alguém ou alguma coisa que não existe no mundo real, mas que você está trazendo a tona. Então dê ao seu cosplay um pouco de você. Use traços da sua personalidade e das suas experiências para representar personagens que tem pontos em comum com você, isso vai dar muita verdade pra sua representação. No caso de personagens que são muito diferentes de você, imagine como seria estar na cabeça dele, quais expressões ele faria, como lidaria com situações, e solte toda sua veia artística e teatral. Se maquie, use pernas de pau, asas, armaduras, se sinta naquele momento épico e permita-se sorrir por isso. Deixe a experiência com o cosplay tirar o melhor de você e reforçar seus pontos fortes, sua criatividade, sua alegria. Seja apenas casualmente, por hobbie, ou profissionalmente, leve o cosplay com você como algo leve, que serve para maravilhar os outros e a você mesmo. Não se deixe levar por comentários negativos, afinal você está fazendo tudo o que pode, e dando seu melhor. Viva essa experiência com carinho, faça amizades, aprenda bastante e, principalmente, se divirta!

Sobremesa: Cosplay: Peter Griffin está de volta!

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.