Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Com diálogos inteligentes, críticas sociais, roteiro ousado e uma aposta na vibe indie pop, Boa Sorte ajuda a fomentar o fato de que o cinema nacional está em sua melhor fase. E é neste alto nível de produção que preconceitos começam a ser desarmados.

BoaSorte001

O Filme

Baseado no conto “Frontal com Fanta” de Jorge Furtado, Boa Sorte é dirigido por Carolina Jabor (A Mulher Invisível e O Mistério do Samba) relatando a experiência de um adolescente com problemas comportamentais e transtorno de ansiedade que é internado em uma instituição psiquiátrica. Diagnosticado com depressão, João (João Pedro Zappa) conhece Judite (Deborah Secco) dependente química, HIV positivo e que se encontra em fase terminal. A partir da primeira interação, os dois começam a nutrir uma relação onde figuram o romance e a troca mútua de experiências e peculiaridades.

70 Pontos

Desenvolvimento

Com base nos eventos que ocorrem antes da internação de João (os quais contribuíram para o surgimento de novos sintomas), a trama transmite pontos importantes e relevantes para o cotidiano de todos nós: a escassez do feeling nas relações interpessoais. Cada vez mais ocupadas e preocupadas, as pessoas parecem passar o dia em transe, ligadas no “piloto automático” e evitando qualquer contato que pode lhes parecer fatigante e/ou indesejado. João parece ter encontrado, ao acaso, uma fuga da realidade ao experimentar ingerir Frontal (ansiolítico que tem como princípio ativo o alprazolan) com o refrigerante Fanta Laranja. O efeito, para ele, era o de “ficar invisível”, potencializando assim a ideia de uma invisibilidade social. Certamente não é nem preciso fazer uso desta mistura para se conseguir passar despercebido entre os transeuntes que permeiam o nosso “dia a dia”. A negligência das interações e do cuidado se mostra cada vez mais notável, mesmo nas relações entre pais e filhos. Parafraseando o texto do filme “(…) este é um país doente… doente de corpo e espírito”.

BoaSorte002

Judite e João elaboram devaneios sólidos e figurativos

Outro ponto importante que Boa Sorte infere é na retratação de um centro psiquiátrico, ainda que não aborde com foco e destaque as demais figuras (figuras estas que compõem uma diversidade complexa de enfermidades psíquicas). Os personagens, em certas passagens, elaboram uma auto-reflexão referente ao processo “internação x tratamento” e parecem experimentar um sentimento de falsa liberdade, mesmo dentro de um ambiente hostil. Elucida também o questionamento da sanidade – insanidade, das minúcias que compelem a estigmatização dos portadores de enfermidade psíquica e do encarceramento destes em instituições. Esta faceta possibilita, aprofundando no tema, uma discussão sobre a Reforma Psiquiátrica, que defende o respeito à cidadania e aos direitos destes sujeitos, promovendo uma maior autonomia e capacidade de interação social. Sendo assim, a internação deixa de ser o tratamento ideal por se revelar um alimentador da exclusão social. A proposta é a criação de uma rede de serviços com CAPS (Centros de Atenção Psicossocial), centros de cultura e de convivência assistidos, cooperativas de trabalho protegido e demais dispositivos, com uma desativação gradual dos chamados “manicômios”.

85 Pontos

A transformação de Secco é um dos pontos máximos do longa

A transformação de Secco é um dos pontos máximos do longa

Dados Técnicos

A trilha sonora (Lucas Marcier) passeia pelo pop e por acordes melancólicos, acompanhando o desenvolvimento dos personagens e da história que vão desenhando. As atuações são críveis e convincentes, assim como a excelente transmutação corporal de Secco que, ao longo dos 90 minutos do filme, traz a nítida percepção de seu definhamento. O que chega a cortar o coração dos mais emotivos. A atriz revelou que levou o papel muito a sério, indo o mais fundo que conseguiu sem trazer danos ao corpo, emagracendo cerca de 11 kgs. Ela disse que demorou um ano para conseguir sair completamente da personagem. Sem dúvidas, foi a atuação mais sensível e comovente de Secco, que certamente pode vir a ser um marco em sua trajetória artística. Zappa, que vive João, cativa o telespectador com sua fragilidade que, em dados momentos, é tamponada por seu ímpeto juvenil e sonhador. É praticamente impossível não se emocionar com as tomadas finais, floreadas e embelezadas com um incrível trabalho de animação, retratando o diário de Judite. Ainda no elenco, Cássia Kis e Fernanda Montenegro agraciam com o profissionalismo e experiência.

O conto “Frontal com Fanta” está presente no livro Tarja Preta, da editora Objetiva. Ele tem participação de outros autores, cada qual com seu conto. O livro é de 2005 e possui 171 páginas e, apesar do preço original ser R$ 35,90, consegue-se encontrar na internet por preços bem menores (inclusive encontrei a R$ 3,90 em um site com livros de saldo).

O roteiro ficou a encargo de Jorge Furtado (autor do conto). A produção conta com Eliana Soárez (O Homem do Futuro, Tropa de Elite) e Carolina Jabor. É distribuído pela Imagem Filmes.

90 Pontos

Considerações Finais

Boa Sorte é um filme que te rouba, por completo. Cativa, instiga e castiga, machuca e cria esperanças. É uma obra incomum, impar e ousada, que consegue nos sensibilizar e nos fazer refletir valores deveras pessoais, porém concernentes a todos, de uma forma geral. Atribula quando salienta a alma magoada e a impotência do corpo físico, do desejo inconsciente da imortalidade e da infinitude de beijos cálidos e demorados. Mas instaura a compaixão quando nos confronta com a falta real do outro, da importância das relações. Do milagre que é a vida, de vivê-la “como se amanhã já não pudéssemos estar mais aqui”…

Ela me perguntou quantas pessoas eu já vi morrer. Quantas pessoas você já viu morrer? Nenhuma, eu disse. Ela sorriu e disse eu vou ser a primeira. Eu disse vai. Ela disse boa sorte.
— Boa sorte.”

[Trecho do conto “Fanta com Frontal“]

80 Pontos

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

Boa Sorte: agregando valor ao cinema nacional
Quantos Cheeseburguers este filme consegue devorar?
O Filme7
Desenvolvimento8.5
Dados Técnicos8
Considerações Finais8
Prós
  • Tema abordado
  • Diálogos inteligentes
  • Secco e Zappa com boas atuações
Contras
  • Algumas passagens démodés
7.9Nota
Nota do Leitor: (0 Votes)
0.0