Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Então, tenho vários dos BioShock comprados e não joguei ainda, sou desses, compro jogo em promoções da Steam e eles ficam lá mofando até que eu decida pegá-los e jogar todos de uma vez numa tacada só. O meu problema é que eu fico muito tempo em jogos massivos online, sei lá, façam um BioShock massivo online. Façam tudo massivo online.

Apesar de não jogar, sei que essa é uma série com legiões de fãs e com uma das melhores avaliações de enredo da história dos games. Sei também que tem gente que borra as calças jogando BioShock e estava super empolgadinhes pra ver esse universo transportado para o cinema.

Tava tudo certo lá em 2009, o diretor Gore Verbinski estava empolgadaço com a treta toda e tudo ia muito bem. Verbinski havia, inslusive, convencido o estúdio Universal a manter o filme para público R (restrito/+18). E tinha carta branca para criar do zero um universo subterrâneo para ambientar BioShock, que não poderia ser meramente filmado em qualquer locação.

Tinha…

Naquele mesmo 2009 foi lançado um filme excelente chamado Watchmen, até hoje um dos melhores filmes de herói já lançado, senão o melhor. Uma história complexa, pesada, política, cansativa. Um filme R. Um filme com orçamento alto. E esse filme deu prejuízo dentro dos Estados Unidos, tendo custado 130 milhões de dólares e rendendo 107.

Para esses executivos o que importa é os Estados Unidos, e é por isso que você tem a todo instante séries que fazem sucesso fora de lá sendo canceladas mesmo assim. Porque lá não fizeram grana com os anunciantes/público.

Se Watchmen, com cenários externos palpáveis, custou para os executivos da Warner/Paramount 130 milhões, imaginem aí quanto custaria na época BioShock para os executivos da Universal tendo que montar tudo do zero. E então eles puxaram o plug.

A situação, como descrita por Verbinsk, foi de frustração, pois ele já estava com tudo planejado, todas as pessoas já estavam amplamente preparadas para rodar um filme que já estava em pré-produção. Ele já imaginava a filmagem. Ele já tinha aquele universo na cabeça. E foi podado.

De lá pra cá Verbinski ganhou um Oscar por Rango e fracassou muito pelo remake de O Cavaleiro Solitário, além disso, a Universal está cada vez mais rica. Fora o fato de ter existido o fenômeno Deadpool, um filme completamente imoral, R, absurdamente rentável, e que concorreu ao Globo de Ouro.

Teremos ainda outra prova de fogo agora: Logan poderá ser mais um indicativo para que BioShock volte a sair da gaveta. E se Verbinski começar a chafurdar no meio dessas tripas, assim como fez Ryan Reynolds, é possível que ele consiga aval pro projeto. Resta saber se ele quer voltar a viver isso, e se tem forças.

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.