Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


“Extraordinários” é mais uma mesa de boteco da Globo e afiliadas que reúne uma legião de seres de direita conservadora, e elitistas até os dentes. De “Extraordinários” o programa não tem nada, talvez tenha um tanto de “ordinários”.

Desde a primeira vez que ouvi falar sobre o programa nas chamadas pré-jogo e pós-jogo dos canais Sportv, eu pensei: que bela bosta deve ser esse programa. Reunir quem eles reuniram para fazer um paralelo entre futebol, cultura e politica? CA-RA-LHO. Só poderia sair merda, e até demorou muito.

Na realidade o programa passava tão tarde que é possível que tenha saído mais merda e as pessoas não tenham notado, e somente agora a litragem de escrotice chamou a atenção. Dá pra adubar uma plantação de soja com os componentes desse programinha.

Um deles, que se intitula jornalista, resolveu por bem chamar a região do nordestina de BOSTA e logo depois saiu pela culatra dizendo se tratar de uma piada. Na hora ele explanava sobre história, inclusive. Então o cara é, aparentemente, jornalista, historiador e mesmo assim consegue ter doutorado em falar idiotice?

Fantástico! Jornalismo e história devem ser apenas hobby, esqueceu o que estudou (se é que estudou). O doutorado em babaquice, como é mais praticado, fala mais alto. Eduardo quem? Não sei quem, mas é bom que evite entrar nas dependências da região nordestina, o pessoal por lá não é conhecido por ter muita paciência com determinadas piadas que não passam de ignorância plena.

Vi muitos canais tentando justificar a ação de “Eduardo Quem” dizendo que o trabalho de jornalismo se torna ainda mais difícil ao vivo, blá, blá, blá, piada, brincadeira… Cara, não, quer dizer então que tá de boas ser babaca em off? Desde que não te filmem tá tudo bem? Preconceito, elitismo, xenofobia, o que mais? É assim que eu classifico a atitude de “Eduardo Quem”, e não acho que exista outra classificação.

 

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.