Esse prato não sairia do forno sem o financiamento de: Tiago Pariz Almeida!
Quer ver seu nome aqui? CLIQUE e saiba como.


Uma história de amor de certa forma simplista, mas que disserta sobre como os homens conseguem ser pau no cu quando querem.

O filme é dirigido por Greg Mottola, cara conhecido pelos sucessos Superbad e Paul; Adventureland ficou entre os dois, meio que escondido, mas deveria ter tido tanto brilho quando. Eu mesmo to com ele na fila faz algum tempo.

As atuações principais ficam por conta de Jesse Eisenberg e Kristen Stewart, que teve sua carreira maculada pela saga dos vampiros brilhantes, porque olha, eu curto o trabalho da menina. Fora o fato de ela ser extremamente sexy (minha opinião). O filme conta também com Ryan Reynolds, que maculou a carreira (de novo) com o filme do Lanterna Verde, que ficou ó, uma bosta.

Jesse faz o papel de um adolescente, James, que com a família a beira da falência tem seus planos de ir para Europa limados; James corre atrás de empregos e só encontra um trabalho na área de jogos do parque local. Ele luta a todo custo para poder viajar para iniciar os planos europeus.

Kristen interpreta uma menina de família rica, Em, cuja mãe morreu de câncer, o pai é um boçal e a madrasta uma idiota. Problemas psicológicos são mato na cabeça da menina. Ela usa o emprego para “fugir” de casa.

E aí entra o personagem de Ryan, Connell, um cara casado que adora se passar por ex-músico para pegar ninfetas, dizendo inclusive ter tocado com o lendário Lou Reed. O filme, é claro, se passa na década de 80.  É ele que faz a manutenção do parque. E logicamente Connell e Em tem um caso.

A abordagem dada a paunocuzisse de ambos os homens do caso é fantástica, James é um adolescente idiota, que espalha tudo que faz com as meninas por todos os cantos, e pra completar fica com outra enquanto está com Em. O típico babaca inexperiente. Já Connell, é o típico babaca experiente, que no fundo no fundo não tem nada de experiente. Chega dar pena do cara, de tão ridículo.

E no fim das contas quem se fode? Em, que fica como a vadia da história (culpabilização da vítima), enquanto o adolescente deslumbrado idiota e o casado babaca, saem ilesos. O filme inclusive me lembra o caso que se passou com Kristen na vida real, basicamente na mesma época desse filme, e que destruiu a vida da menina. E enquanto ela era chamada de puta, o cara CASADO saía limpo da história.

O filme também aborda alguns preconceitos relacionados a religião, além de bullying e outras coisas mais.

Adorei o filme e o ponto alto é a trilha sonora fantástica. Uma das melhores trilhas sonoras que já ouvi fazendo os contornos de uma história, é excelente e muito bem encaixada (sem exagero). Cada música que tocava eu pensava “QUE FODA!”; classe!

Querem um filme divertido pra ver e ouvir? É esse. E está disponível na Netflix para quem é assinante.

 

Achou nossa mensagem importante e quer que ela chegue em mais pessoas? Ajude o Fast Food Cultural a crescer, seja um financiador! Você pode contribuir com o projeto através do Patreon ou Apoia.se, acesse os links, confira nosso vídeo, nossos objetivos, leia outros textos nossos e faça parte da nossa família.

Adventureland (Filme)
Quantas barras de chocolate de sua preferencia vale esse filme?
9.5Nota
Nota do Leitor: (1 Voto)
10.0

Sobre o Atendente

Coordenador e gerador de conteúdo
Google+

Militância pé na porta! "Às vezes está louco na problematização". Cru. Somente a verdade, nada mais que a verdade. Já foi ignorante e às vezes pensa que é inteligente. Viciado em: consumir informação, alguns jogos, música e sexo. Se formou DJ e Produtor Musical pela AIMEC, não era o que a família queria. Preza por água de boa qualidade (não me venha com Crystal), bem como cerveja (não me venha com Skol). Cozinha muito bem e não come animais. Mora no Cubo Mágico, QG de operações localizado em Porto Alegre, mas é mineiro e come pão de queijo enquanto ainda tiver. Torce para o Palmeiras: "Ninguém é perfeito". Idealizador, fundador, pica das galáxias e rei do universo. Obrigado, de nada.

Lanches Similares